Saiba como a economia afeta o marketing imobiliário

13/09/22 | Por impacto-admin
Compartilhar

O Marketing Imobiliário e seu desempenho estão profundamente interligados com a atividade do setor imobiliário na sociedade atual, dependendo também de fatores externos para sua melhor performance. Nesse artigo iremos esclarecer quais são esses fatores e de que maneira a publicidade digital pode ser afetada.

A incorporação imobiliária é considerada cíclica, pois, vê-se em constante mudança de acordo com o panorama econômico do Brasil, principalmente diante da conjuntura político-econômica atual. Além do panorama nacional, o mercado imobiliário é fortemente suscetível a fatores externos - seu desempenho tem vínculo profundo com diversos fatores micro e macroeconômicos. Alguns deles são:

  • Políticos, como, por exemplo, as eleições em um futuro próximo;

  • Movimentos de outras economias, como a elevação da taxa de juros em potências econômicas;

  • Percepção de risco do país na visão dos investidores.

Contextualizando a situação brasileira atual segundo esses parâmetros, o risco-país brasileiro, medidor da percepção de risco de um país,  cresce mais do que os demais países da América Latina em 2022, alcançando 292 pontos em comparação aos 168 da média entre Colômbia, Chile, Peru e México (G1).

Essa alta está ligada ao outro fator citado: a alta dos juros dos Estados Unidos. Com o objetivo de controlar a inflação do país, o Banco Central Americano elevou a taxa de juros para atrair investimentos externos. A consequência direta é a valorização do dólar, que afeta as economias menos desenvolvidas, desvalorizando a moeda nacional e piorando a percepção de risco de investimento no Brasil.

Os indicadores que crescem o mercado imobiliário

O crescimento do setor habitacional brasileiro depende diretamente de 4 pontos: confiança do consumidor, desemprego, renda e inadimplência.

Os índices de confiança do consumidor e desemprego mostram no segundo trimestre de 2022 uma breve melhora após o período de forte recessão econômica da pandemia de Covid-19. A recessão tem os seguintes impactos nos pilares do setor habitacional:

  • O aumento do desemprego e queda da renda faz com que a inadimplência aumente ao incapacitar a maioria da população de cumprir com seus compromissos financeiros;

  • A diminuição da confiança diminui também as compras, reduzindo a demanda e, por consequência, a oferta de lançamentos por incorporadoras.

Embora o cenário da pandemia tenha afetado pouco a demanda por imóveis, os preços da matéria-prima sofreram expansão, aumentando o orçamento e dificultando a quitação de valores por quem adquiriu ou planeja adquirir imóveis. Evidência disso é o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), divulgado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que, em junho de 2021, registrou sua maior alta em 13 anos (QuintoAndar).

O crédito imobiliário também é afetado

Alguns dos principais desafios do mercado imobiliário atual são o cenário econômico do país, a jurisprudência e o cancelamento de vendas. A conjuntura político-econômica afeta diretamente a arrecadação de crédito imobiliário, que acontece por:

  1. Caderneta de Poupança (SBPE) - O saldo da Caderneta é muito sensível a questões de aumento de juros e desemprego, podendo apresentar perda de recursos por meio dos saques da poupança.

  2. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - O cenário macroeconômico também afeta a arrecadação e no saque do FGTS, uma vez que é um fundo de formação de patrimônio para o trabalhador e depende diretamente dos níveis de população empregada.

Por isso, percebe-se a importância da diversificação dos meios de captação de recursos para o crédito imobiliário. É essencial também a ampliação de programas como o Minha Casa Minha Vida, que oferecem subsídios para a aquisição da casa própria.

Por que continuar investindo no Marketing Imobiliário?

Todos esses fatores e percalços influenciam diretamente no marketing imobiliário. Com consumidores cada vez mais cautelosos, a performance pode diminuir, principalmente nos imóveis direcionados para o público de baixa renda.

Entretanto, não é tempo para diminuir os investimentos em publicidade: é a ferramenta mais eficiente para atrair o consumidor e evitar que os imóveis fiquem parados gerando custos indesejados.

Da mesma forma, as campanhas de retenção para lançamentos imobiliários também precisam de um cuidado maior frente aos desafios da economia.

O Marketing Imobiliário bem direcionado e impulsionado pode alcançar o público certo para realizar uma boa venda no seu negócio. Conte com a equipe especializada da Impacto para permitir o crescimento dos bons resultados no mercado imobiliário!

Fonte: EY, G1 e QuintoAndar

chevron-left
chevron-right

Receba nossa newsletter


    Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de Privacidade e Termos de Serviço do Google se aplicam.

    Siga-nos nas redes sociais

    Entre em contato!

    Está com alguma dúvida ou quer conversar sobre algum produto?
    Fale conosco

    Gostou deste conteúdo? Entre em contato conosco!

    CONTATE-NOS